RS Innovation Agro: Projetos financiados pela Fapergs enfocam pesquisa e inovação agropecuária

RS Innovation Agro: Projetos financiados pela Fapergs enfocam pesquisa e inovação agropecuária

Projetos de pesquisa e inovação agropecuária, financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (Fapergs), vinculada à Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict), foram tema de dois painéis nesta sexta-feira (1), dentro da programação do RS Innovation Agro, na Expointer. Mediadas pelo diretor técnico-científico da Fapergs, Rafael Roesler, as rodas de conversa mostraram como os recursos do programa Avançar na Inovação, do governo do Estado, estão sendo aplicados em soluções tecnológicas para a cadeia do agro. 

“A partir de 2021, a Fapergs, junto com a Sict, construiu dois novos programas de fomento à inovação, que são o que chamamos de programas estruturantes. Eles são responsáveis pelo maior volume de investimento da história da Fapergs”, apontou Roesler.  

O primeiro painel discutiu o programa Inova Clusters Tecnológicos, que selecionou, ao todo, nove propostas em diferentes regiões do estado e distribuiu R$ 24 milhões entre elas. Um dos projetos foi o Centro de Agrotecnologia e Inovação do Pampa. Conforme a pesquisadora Chiara Valsecchi, esse cluster busca levar a inovação para a região do Pampa gaúcho, apostando em agrotecnologia, energias renováveis e tecnologias sustentáveis. 

Já o pesquisador Marcio Mazutti explicou que o cluster Agroinova busca desenvolver produtos e serviços aplicados à agricultura inovadora e sustentável, com foco no potencial dos bioinsumos. Tanto Marcio quanto Chiara destacaram a importância da aproximação da quádrupla hélice regional – governo, iniciativa privada, academia e sociedade civil organizada – para levar os projetos adiante. 

Pesquisadores das RITES participaram de painel no RS Innovation Agro – Foto: João Felipe Brum / Ascom Sict

No segundo painel, o debate se voltou ao programa Redes Inovadoras de Tecnologias Estratégicas do Rio Grande do Sul (RITES), que investiu R$ 30 milhões em 14 projetos de áreas consideradas estratégicas, como o agronegócio. O professor Paulo Carvalho apresentou a rede Agropecuária de Baixo Carbono e Adaptada às Mudanças Climáticas no Rio Grande do Sul, voltada para práticas mitigadoras de gases do efeito estufa.  

Segundo o pesquisador Fabricio Conceição, a rede REIVAVET-RS busca desenvolver vacinas veterinárias inéditas para algumas doenças animais, que são produtos de interesse global. Por sua vez, o professor Rafael Gionella contou que a rede FIBRA-RS tem como foco a reprodução animal, com o desenvolvimento de técnicas inovadoras. 

A rede Smart RNAi, conforme o pesquisador Aldo Merotto, desenvolve tecnologias inovadoras para proteção de plantas com uso de interferência por RNA e inteligência artificial. Para finalizar, Marcio Mazutti retornou ao palco para falar sobre a rede voltada para a produção de bioinsumos agrícolas multifuncionais para substituição de insumos químicos.


https://sict.rs.gov.br