Expointer 2023: Governo lança painel que detalha ocorrências de desastres naturais no Rio Grande do Sul

Expointer 2023: Governo lança painel que detalha ocorrências de desastres naturais no Rio Grande do Sul

As informações sobre ocorrências de desastres naturais no Rio Grande do Sul entre os anos de 2003 e 2022 foram disponibilizadas pelo governo do Estado em um novo painel, apresentado nesta terça-feira (29/8) durante a 46ª Expointer, em Esteio. No portal, elaborado pela Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG) em parceria com a Defesa Civil, o usuário pode consultar, de forma detalhada, dados sobre os registros de eventos como enxurradas, inundações, estiagem e seca, chuvas intensas e vendaval e granizo em cada município. Dentre as informações disponibilizadas estão o tipo e o número de ocorrências, os danos humanos e os prejuízos econômicos.

Acesso ao painel

Ao longo de 20 anos, 496 dos 497 municípios do Estado tiveram registros de ocorrência de algum desastre natural reconhecido – a exceção é Estância Velha. Estiagem e seca é o tipo mais comum de fenômeno, com 2.594 ocorrências no período, seguido de enxurrada (783) e vendaval (434). Produção do Departamento de Planejamento Governamental (Deplan), o material teve como base os dados do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD), do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, e foi elaborado tendo como referência a regionalização usada pela Defesa Civil – que divide o RS em nove Coordenadorias Regionais.

Apresentado na Expointer pela gerente da Infraestrutura Estadual de Dados Espaciais (Iede-RS), Maria do Socorro Barbosa, o lançamento contou com a participação da titular da SPGG, Danielle Calazans, da secretária do Meio Ambiente e Infraestrutura, Marjorie Kauffmann, e do subchefe da Defesa Civil, Marcus Vinícius Gonçalves Oliveira. A Iede-RS é um projeto estratégico da SPGG.

“O painel permite que qualquer cidadão consiga acessar, de forma ágil e objetiva, as informações relativas ao seu município e à sua região, bem como conhecer, em números, as consequências dos fenômenos. Com isso, além de dar suporte à elaboração de políticas públicas mais eficientes, o governo do Estado estimula a população a ser um agente ativo para a transformação social”, destacou Danielle.

“O planejamento é fundamental e tem total conexão com adaptação e resiliência climática. Não há planejamento sem informação, por isso esse acompanhamento feito pela SPGG é tão importante. Se juntarmos informação com treinamento – que a Defesa Civil já vem realizando nas suas unidades regionais –, a sociedade ganha e o Estado cumpre o seu dever de prover melhores condições de vida para a população”, reforçou Marjorie.

Sobre o painel

O painel usa como base a publicação “Desastres Naturais no RS: estudo sobre as ocorrências no período 2003 – 2021”, divulgada pelo Deplan em dezembro de 2022. Nele foram disponibilizados dados sobre os tipos de desastres naturais mais recorrentes registrados no Estado com base no Atlas Brasileiro de Desastres Naturais. Entre eles, os desastres hidrológicos (alagamentos, inundações e enxurradas), meteorológicos (tornados, granizos, chuvas intensas, vendavais, geadas e ciclones), climatológicos (estiagens e secas) e geológicos (movimentos de massa, como, por exemplo, os deslizamentos).


https://www.expointer.rs.gov.br