Expointer 2023: Emater/RS-Ascar estimula a sucessão rural em sua programação na 46ª Expointer

Expointer 2023: Emater/RS-Ascar estimula a sucessão rural em sua programação na 46ª Expointer

Incentivar a permanência do jovem no campo, com qualidade de vida e renda, é uma das temáticas da Emater/RS-Ascar, instituição vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), em sua programação durante a 46ª Expointer. O espaço tem como objetivo apresentar aos visitantes os trabalhos realizados pela organização na perspectiva da sucessão rural.

Na Expointer, são divulgadas as possibilidades de sucessão a partir dos diferentes temas trabalhados pela Extensão Rural e Social, apresentados por meio de fotografias. A coordenadora de Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) para juventude rural, Clarisse Emmel Bock, destaca que a primeira ação para estimular a permanência do jovem no campo é ouvir os seus anseios. “O jovem está em busca de novidades. Mas, antes de tudo, ele quer ser ouvido. Então, por meio do nosso trabalho, levamos informações diversas nas atividades que eles têm interesse, além de trabalhar muito as relações familiares, a inovação tecnológica, com a questão das mídias sociais, que hoje eles estão muito inseridos, e, para além disso, a valorização deles enquanto agricultores e o seu papel na propriedade e no local em que vivem”, comenta.

Entre os fatores que contribuem para que o jovem permaneça no meio rural, Clarice cita a constante melhora na estrutura das Unidades de Produção Familiar e o apoio dos pais. “As propriedades rurais têm estruturas cada vez melhores. Vejo também que os pais estão ouvindo mais os jovens e oferecendo a eles a oportunidade de terem algo que seja deles, e, quando isso ocorre, esse trabalho é valorizado. Isso é um fator preponderante para tomarem a decisão de ficar ou não no meio rural”, ressalta.

Também são divulgados durante a Expointer os cursos oferecidos nos Centros de Treinamento da Emater/RS-Ascar, que estão localizados em diferentes regiões do Estado. O curso de Empreendedorismo e Desenvolvimento para Juventude Rural é um exemplo. “Esse curso tem de seis a oito módulos, de dois ou três dias cada, com diferentes atividades. O foco do trabalho é sempre levar informações a respeito das atividades do rural, mostrando as possibilidades de eles se inserirem nelas ou de fazer algo relacionado. Além disso, também trabalhamos de forma lúdica e dinâmica, para que não seja muito maçante para os jovens”, explica Clarice.

Tecnologia como atrativo

Na parcela da Sucessão Rural, o visitante também poderá conhecer, por meio de óculos de realidade virtual, o trabalho desenvolvido por dois jovens rurais assistidos pela instituição e que tiveram seus projetos executados depois da participação no Curso de Empreendedorismo e Desenvolvimento para Juventude Rural.

Um desses cases é a jovem agricultora Stefani Harthmann da Silva, do município de Cristal, e que hoje é uma das expositoras do Pavilhão da Agricultura Familiar na 46ª Expointer. “Em 2019, a mãe começou com o cultivo de morangos. Eu havia passado no vestibular, mas resolvi abrir mão da faculdade e tocar a produção com ela. Mas, não é porque estamos no meio rural que não precisamos nos capacitar ou especializar em alguma área. Fiz alguns cursos e entre eles o da Emater. Esse curso me abriu para novas possibilidades e em novembro vamos abrir a propriedade para o turismo rural. Além disso, ganhei uma visão maior sobre como administrar a propriedade, que é bem diversificada, e aprendi no curso o que poderia melhorar”, comenta a jovem agricultora.


https://www.expointer.rs.gov.br