Dia de Campo do Irga no RS recebe mais de 1,5 mil pessoas

Dia de Campo do Irga no RS recebe mais de 1,5 mil pessoas

A experiência inédita de realizar o Dia de Campo Estadual do Irga em Cachoeira do Sul foi considerada exitosa. O evento, realizado na quinta-feira (25/1) na Estação de Pesquisa na Barragem do Capané, registrou mais de 1,5 mil visitantes. O secretário da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação, Giovani Feltes, estava entre as autoridades que participaram da programação.

Coordenado pela chefe da Pesquisa da Estação de Cachoeira, doutora Mara Grohs, o Dia de Campo teve como tema “Arroz irrigado em sistemas de produção frente ao cenário atual de vulnerabilidade climática” e contou com quatro estações que puderam ser visitadas durante a manhã. Foram preparadas as seguintes estações: Potencialidades e desafios do milho irrigado em terras baixas; Manejo da soja – aspectos químicos do solo; Manejo da nova cultivar de arroz, a IRGA 426 CL, e o contexto do arroz em sistemas de produção em terras baixas; e Manejo cultural do arroz vermelho e novas tecnologias de controle químico.

“O Dia de Campo foi uma demonstração do potencial que o Irga tem em transferência de inovação e tecnologia a todos os produtores de arroz do Rio Grande do Sul. Foi o maior Dia de Campo já realizado pela instituição em número de público nestes quase 84 anos. Isso demonstra o protagonismo que o instituto tem dentro do sistema de produção em terras baixas, um sistema que tem se modificado ano a ano e que o Irga tem também se adaptado pensando no produtor rural, não só na cultura do arroz, mas também em culturas de sequeiro, em plantas de cobertura. Desenvolver também informações em relação à sustentabilidade dessa lavoura. E nós ficamos muito felizes de os produtores terem atendido nosso chamado, até porque tivemos que limitar as inscrições pela alta demanda”, diz a engenheira agrônoma Mara Grohs.

Ao meio-dia ocorreu a solenidade de abertura do Dia de Campo. O secretário Giovani Feltes destacou a grandiosidade do evento. “O Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do país e este é um espaço para nivelar conhecimento e aprender sobre as novas tecnologias de manejo e tendências do mercado. O Estado está sempre buscando fazer o melhor para a cultura orizícola, tão importante econômica e socialmente, mas especialmente para o homem e a mulher do campo”, afirmou, destacando o reconhecimento do Irga, com seu corpo técnico e conhecimento.

Na sequência, os participantes puderam degustar um arroz carreteiro preparado pela equipe de gastronomia do Irga.

Na parte da tarde foram oferecidas cinco oficinais técnicas: Manejo da soja – aspectos físicos do solo; O uso de drones para pulverização em terras baixas; Tecnologias para irrigação em terras baixas; Uso correto de bioinsumos na produção de grãos; e Benefícios do arroz para a saúde.

“Um Dia de Campo histórico, eu diria, com certeza o maior da história do Irga, pelo número de pessoas, pela qualidade do que foi apresentado pela nossa Pesquisa, principalmente pelo ambiente, e tudo num clima de muita confraternização. É um grande momento que o Irga está vivendo aqui, apesar das dificuldades do passado. Lembro quando eu cheguei na instituição, em 2021, o ambiente era de angústia, de incertezas, mas eu sempre disse que o mais difícil a gente já tinha, que era que todos queriam salvar o Irga. Então hoje a gente tem uma harmonia institucional muito grande. E quando eu falo de harmonia institucional, é entre servidores, diretoria, conselheiros, entidades representativas do setor e governo. Foram feitos diversos investimentos na instituição, recuperamos o nosso déficit histórico, tanto de estrutura quanto de equipamentos. E aqui é um exemplo disso”, relata o presidente do Irga, Rodrigo Machado.

“Foram investidos mais de 2 milhões e 200 mil reais na Estação de Pesquisa e mais 4 milhões e 600 mil reais na Barragem do Capané. Nós tivemos essa barragem interditada em meados de 2021, então a gente conseguiu contratar a obra, executamos porque hoje cerca de 1.200 pessoas dependem da barragem. Temos um novo clima, acho que também por causa da integralidade da Taxa CDO que o governador colocou no nosso orçamento. Isso nos permitiu avançar. Obviamente tem muitas partes que a gente ainda precisa avançar. E a gente sabe quais são, o governo é sensível e as coisas estão andando. Então a gente tem que acreditar sempre, olhar para o horizonte e seguir trabalhando. E eu acho que essa turma do Irga é isso. Foi um evento construído e pensado durante dez meses. Eu fiz questão, na abertura, de homenagear a pessoa da doutora Mara Grohs, que é a gerente da estação aqui em Cachoeira, e o nosso coordenador técnico, o extensionista Enio Coelho, e assim homenagear todos os colegas, inclusive os administrativos, porque para isso aqui acontecer, precisamos de questões administrativas bem complicadas de executar. Então nós, como facilitadores desse pessoal todo aqui no interior, nas estações, temos essa obrigação. Então os facilitadores fizeram a sua parte em Porto Alegre para que um grande Dia de Campo se realizasse em Cachoeira”, acrescenta Machado.

As seis coordenadorias regionais da autarquia organizaram excursões para Cachoeira do Sul, com todas as despesas custeadas pelo Irga, com auxílio de apoiadores. O evento teve como parceiras as empresas Basf, FMC, Syngenta, Pioneer, Querodiesel, Biotrop, Sicredi, ADS Agridrones, Alimentos Treichel, Irrigatec, Vasconcelos Agrícola, Rui Castro & Filhos e PipeBR, além do Sindicato Rural do município.