agro-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startups-hub-cna-senar-agronegocio-agrotech-startse-sp-2
agro-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startups-hub-aldo-rosa-ceo-palestrante-cna-senar-agronegocio-feira-tributacao-2
agro-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startups-hub-aldo-rosa-ceo-palestrante-cna-senar-agronegocio-fenasoja-santa-rosa-9
agro-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ecossistema-startups-hub-aldo-rosa-ceo-palestrante-cna-senar-agronegocio-agrobrasilia-inova-feira-5
rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon

Conheça os gigantescos confinamentos da JBS

Conheça os gigantescos confinamentos da JBS

Conheça os gigantescos confinamentos da JBS

Escrito por Juliana Freire

A JBS é uma gigante global no setor de alimentos, com operações em múltiplos países, incluindo o Brasil e a Austrália. Um dos pilares de sua produção é o sistema de confinamentos, onde milhares de animais são criados sob rigorosos padrões de qualidade e bem-estar animal para abastecer a cadeia de produção de carne da empresa; conheça agora os impressionantes confinamentos da JBS Com quase sete décadas de história, a JBS se ergue como um gigante na indústria alimentícia global. Reconhecida como a maior produtora mundial de proteínas e a segunda maior empresa de alimentos do mundo, a firma é uma potência que abrange desde o processamento de carnes até a produção de alimentos de conveniência e valor agregado. Com uma presença em mais de 20 países e mais de 400 unidades operacionais, a empresa emprega mais de 240 mil colaboradores e atende a uma clientela que se estende por mais de 190 nações ao redor do mundo.

Em um contexto em que a pecuária é praticada de maneiras diversas em todo o mundo, os confinamentos da JBS representam uma faceta significativa de sua estratégia de produção de proteínas. Desde suas unidades no Brasil, passando pela Austrália e Nova Zelândia, até os Estados Unidos e Canadá, vamos mergulhar nas operações de confinamento da JBS, destacando sua importância, alcance e impacto na indústria pecuária global.

A JBS é uma gigante global na indústria de alimentos, com uma história de mais de seis décadas de crescimento e sucesso. Fundada em 1953 por José Batista Sobrinho, a empresa começou com uma pequena planta de processamento de carne bovina em Anápolis, Goiás, Brasil. Desde então, expandiu-se de forma impressionante, tornando-se o maior produtor mundial de proteínas e a segunda maior empresa de alimentos do mundo – atrás apenas da Nestlé -, com sede em São Paulo, Brasil. A grandiosidade da JBS é evidente em seus números impressionantes. Com capacidade para processar mais de 75 mil bovinos por dia, cerca de 14 milhões de aves e 115 mil suínos, a empresa demonstra sua liderança na produção de proteínas. Além disso, sua diversificada linha de produtos, que inclui carnes bovina, suína, de frango, bem como alimentos de conveniência e valor agregado, atende a uma clientela que se estende por mais de 190 nações.

A firma também é reconhecida por suas marcas de renome, como Swift, Friboi, Seara e Pilgrim’s Pride, entre outras, que são sinônimos de qualidade e confiabilidade em todo o mundo. Ao longo de sua história, a JBS tem sido impulsionada por uma busca incessante pela excelência e inovação. A empresa estabeleceu parcerias estratégicas, evoluiu em processos e investiu em tecnologia para se tornar uma das líderes globais da indústria de alimentos. Além disso, tem um compromisso sério com a sustentabilidade, buscando constantemente melhorar suas práticas ambientais e sociais em toda a sua cadeia de suprimentos. Em suma, essa gigante é uma força dominante no mundo dos alimentos, continuamente buscando novas maneiras de atender às demandas do mercado global e impulsionar a indústria para a frente.

Referência em qualidade de confinamentos No Boitel JBS, os processos de confinamento são cuidadosamente projetados para oferecer uma solução completa e conveniente para pecuaristas que buscam otimizar a engorda de seus rebanhos. A modalidade de pagamento é ajustada somente após o abate dos animais, eliminando a necessidade de qualquer desembolso anterior por parte do pecuarista. Além disso, são oferecidos serviços adicionais, como antecipação de recebíveis, adiantamento do frete do gado magro, reembolso por perdas no manejo e opção de trava de preços, proporcionando segurança e conveniência aos clientes. Esses processos visam não apenas melhorar os indicadores de fazenda, como a taxa de lotação e o giro do estoque, mas também maximizar os resultados na comercialização dos animais.

Ainda, o bem-estar animal é uma prioridade essencial. Investimentos em pesquisas e dietas são realizados para atender às necessidades nutricionais dos animais e promover sua saúde. São implementados padrões rigorosos de bem-estar em todas as operações do confinamento, assegurando que os animais sejam tratados com respeito, dignidade e compaixão. A qualidade operacional é outro aspecto fundamental dos processos no Boitel JBS. Infraestrutura funcional e tecnologia avançada são combinadas para garantir um manejo eficiente, rastreamento e identificação precisos. Os diferenciais do Boitel incluem padronização nas operações, acompanhamento nutricional lote a lote, relatórios completos por curral, bem-estar e conforto animal, baias exclusivas para cada parceiro, além de uma fábrica de ração e caminhões de trato. Esses aspectos convergem para criar um ambiente de confinamento de excelência, impulsionando a rentabilidade dos parceiros pecuaristas.

Conheça os confinamentos do Brasil

A JBS gerencia um impressionante conjunto de confinamentos tanto no Brasil quanto na Austrália. Com oito confinamentos no Brasil e seis na Austrália, a capacidade total de engorda dessas unidades supera 206 mil cabeças de gado, abrangendo mais de 2 milhões de animais confinados, como revelado em um vídeo divulgado na matéria. A empresa está construindo o maior e mais tecnológico confinamento do Vale do Araguaia, um marco em sua história. O boitel de Barra do Garças, com capacidade estática para 40 mil cabeças, é apenas um exemplo da impressionante infraestrutura da JBS. Com uma previsão de girar 110 mil bovinos por ano, esse confinamento demonstra o alcance e a magnitude das operações da empresa.

Além disso, unidades como Guaiçara-SP, Lucas do Rio Verde-MT, Porto Alegre do Norte-MT, Terenos-MS, Rio Brilhante-MS, Campo Florido-MG e Uberaba-MG, com capacidades que variam de 10 mil a 21 mil bovinos, contribuem significativamente para a capacidade total de engorda da JBS. Confira:

Guaiçara, SP: Com capacidade estática para 13.000 bovinos, esta unidade em São Paulo contribui para a rede de confinamentos da JBS, proporcionando uma engorda eficiente e de qualidade.

Lucas do Rio Verde, MT: Localizado em Mato Grosso, este confinamento tem capacidade para 21.000 bovinos. Sua operação é fundamental para suprir a demanda de engorda na região, mantendo altos padrões de produção.

Porto Alegre do Norte, MT: Com capacidade para 12.000 bovinos, este confinamento em Mato Grosso desempenha um papel importante na cadeia de produção da JBS, garantindo a engorda eficiente do gado.

Terenos, MS: Este confinamento em Mato Grosso do Sul tem capacidade estática para 10.000 bovinos.

Sua localização estratégica contribui para o abastecimento de animais para engorda na região. Rio Brilhante, MS: Outra unidade em Mato Grosso do Sul, este confinamento também tem capacidade para 10.000 bovinos. Sua operação eficiente é parte integrante da rede de confinamentos da JBS. Campo Florido, MG: Com capacidade estática para 10.000 bovinos, este confinamento em Minas Gerais contribui para a produção de gado de alta qualidade da JBS. Uberaba, MG: Localizado em Minas Gerais, este confinamento também tem capacidade para 10.000 bovinos. Sua operação eficiente e de alto padrão ajuda a atender à demanda da empresa por animais para engorda. Esses confinamentos não apenas refletem a liderança da JBS no setor, mas também evidenciam seu compromisso com a inovação e a eficiência.

Com investimentos em tecnologia e infraestrutura, a empresa busca continuamente aprimorar suas operações para atender às demandas do mercado e garantir a qualidade de seus produtos. Na modalidade de diária a preço fixo, o pecuarista paga pelas diárias dos animais, levando em consideração fatores como raça, peso inicial, sexo e condição corporal. Os machos que estão fora do padrão podem estar sujeitos a uma faixa de preço diferente. Além disso, existem premiações extras, como as relacionadas ao SISBOV/Europa, que são repassadas ao Parceiro conforme a negociação. Os tipos de animais incluem os padrões nelore/anelorado e os cruzamentos industriais, abrangendo machos inteiros, machos castrados e fêmeas. Quanto à dieta, ela é composta principalmente por silagem de milho, milho, farelo de soja, caroço de algodão, torta de algodão, núcleo mineral e melaço de soja, seguindo uma dieta alto grão, onde há predominância do concentrado/grão sobre o volumoso.

O custo do frete é calculado de acordo com a localização entre o confinamento e a fazenda do produtor, podendo o sistema custear toda ou parte da despesa. O manejo sanitário é de responsabilidade do Boitel JBS, com medicações extras sujeitas à autorização do pecuarista. Quanto ao pagamento no frigorífico, há duas opções: à vista, com um prazo de 3 dias úteis após o abate, ou a prazo, com pagamento em até 30 dias após a data do abate, com escolha feita no momento da assinatura do contrato. As vantagens para o pecuarista incluem a ausência de desembolso financeiro imediato, com despesas descontadas no abate, como alimentação, frete e sanidade.

O Boitel JBS absorve as mortes e rejeitos de cocho, oferece preferência na escala de abate, padronização de procedimentos, acompanhamento nutricional, relatórios completos por curral, bem-estar e conforto animal, além do aumento da lotação, desfrute e faturamento por hectare. Atualmente, a JBS é a maior produtora de alimentos da Austrália, com mais de 15 mil colaboradores no país, oferecendo um amplo portfólio que inclui carne bovina, ovinos, suínos e salmão, com marcas de valor agregado. Como parte de seu investimento contínuo na região, a empresa destinou R$ 250 milhões para a criação de um segundo turno em sua maior unidade de bovinos no país. Esta fábrica é a maior de proteína bovina da JBS na Oceania, com um impressionante processamento diário de 3.400 animais, representando cerca de 10% da capacidade total nacional.

Entre os seis confinamentos que a JBS opera na Austrália, destaca-se a qualidade e eficiência de suas operações. Essas unidades desempenham um papel crucial no fornecimento de animais para abate, contribuindo para a produção sustentável e de alta qualidade da empresa. Com uma abordagem centrada na tecnologia e no bem-estar animal, esses confinamentos garantem padrões elevados de produção e segurança alimentar.

https://www.comprerural.com/